Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

vila de cano - canoonline - João Mot@



Mensagens

Sábado, 24.04.10

25 de Abril …. Sempre ??

 

 

Face á actual situação do meu País, fiz questão de assistir há pouco tempo a vários documentários, nos quais foi feito um relato exaustivo daquilo que foi o 25 de Abril de 1974!

 

Pelo que neles vi, o espírito nobre do 25 de Abril esteve estampado num homem que se chamou Capitão Salgueiro Maia e naqueles valentes soldados que avançaram com uma coragem que nos encheu e enche de orgulho!

A partir do momento em que Marcelo Caetano exigiu a presença de um General para a sua rendição, conseguiu num gesto só ao alcance de grandes líderes, alterar completamente a história deste País. A expressão pura e nobre do 25 de Abril terminou ali – Entrou naquele Gabinete a esperança de mudança para melhor representado pela pureza de Salgueiro Maia e quando saiu o general, levou “preso” Marcelo Caetano, se calhar pelo que viu nas ruas antes de entrar, pois se não existisse já aquele levantamento popular – o preso a sair poderia ser o Capitão de Abril!

E foi aqui que mudou completamente o rumo do 25 de Abril com uma cartada de mestre, não do conquistador, mas sim do conquistado! A partir dali quem ficou a liderar o 25 de Abril não foi quem o planeou, mas sim vários “para quedistas” que foram caindo neste País vindos sabe-se lá de onde com o “carimbo” de presos políticos! Iniciou-se nessa altura a rapinagem “legal” do nosso País, a qual se tem mantido até ao momento e que levou o nosso Portugal ao ponto em que está hoje – Uma tristeza, originada por um autêntico “tsunami” de incompetência ao longo de trinta e seis anos!  

 

Seria talvez mais importante analisar friamente aquilo que aconteceu, os proveitos que daí resultaram e os malefícios daí obtidos. Portugal está neste momento totalmente dependente de meia dúzia de Países Europeus – vivemos praticamente todos de esmolas – uma vergonha nacional.

A Agricultura, as Pescas, a Indústria e o Comércio foram pura e simplesmente destruídos! Aquilo pelo que alguns Portugueses lutaram antes do 25 de Abril acabou por ser demonstrado através destes anos que era uma utopia – não a ideia nobre, mas sim a forma de o conseguir!

A alma Portuguesa foi-se! A riqueza foi-se! A capacidade empreendedora dos Portugueses foi-se! A maior parte dos Portugueses preferiam claramente que Portugal fosse uma província Espanhola!

- Portugal parou! Tudo resultado não daquilo que foi o 25 de Abril, mas daquilo que se seguiu ao 25 de Abril!

- O epílogo do 25 de Abril foi retransformar Portugal num País de emigrantes, como aconteceu no tempo de Salazar, só com uma pequena enorme diferença! Nesse tempo os emigrantes não tinham problemas de dizer que eram Portugueses!

 

Festejar o 25 de Abril será sempre uma forma de nos enganarmos a nós próprios, procurando acreditar que tudo está como nós queremos, que o objectivo foi conseguido, quando de facto aquilo que temos actualmente é uma clara manifestação de incapacidade que por certo chocaria os nossos heróis antepassados – esses sim, que a troco do orgulho Nacional desbravaram mares para descobrir um novo Mundo e deixar bem alto vincado o nome do nosso País!!!

 

Obter  “esta liberdade para alguns”  que já neste momento deixa em causa o futuro dos nossos filhos, será que valeu a pena?

… e desenganem-se aqueles que pensam que a situação do País que neste momento é dramática, já chegou ao seu pior estado…pois esse… parece-me que ainda está para chegar.

 

 

José Guilherme Silva

 

23.Abril.2010

Autoria e outros dados (tags, etc)

por @Mota@ às 18:45


2 comentários

De rodrigo atalho a 25.04.2010 às 02:31

mais um texto com inteligencia 

De Anónimo a 05.05.2010 às 15:30

como sempre estes textos dão-nos vontade de ler mais e mais, continue a enviar textos para o blog que nós leitores agradecemos.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Abril 2010

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Contador


Visitas

online



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D