Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

vila de cano - canoonline - João Mot@



Mensagens

Quarta-feira, 16.02.11

Crise Social

Saiu em Janeiro uma portaria a regular o transporte de doentes não urgentes que era assegurado na integra pelo SNS ao ser retirado o Ministério da saúde violou a constituição da república ao retirar o direito á saúde , foi o que se passou pois ao retirarem o transporte comparticipado aos utentes tiraram-lhe o direito á saúde , numa população envelhecida com uma taxa de desemprego brutal em que as reformas rondam os 300 a 400 em que o dinheiro dos utentes mal chega para a alimentação e farmácia para não falar nos que estão nos lares em que a maior percentagem vai para o pagamento da mensalidade como podem esses utentes pagar os transportes?  mas isso pouco interessa aos nossos governantes ou será desgovernantes ? se vai poupar uns milhões de euros? seguramente que sim a curto prazo e a médio e longo prazo? o que se vai gastar? um utente que lhe seja pedido um exame de diagnostico por ex uma ecografia, electrocardiograma Rx entre outros os utentes não têm transporte não vão fazer os exames, não vão a consultas de especialidade, como pode o médico de família diagnosticar seja que doença for sem os meios de diagnósticos ? o que podia e devia ser tratado com poucos euros passará mais tarde de dezenas de euros para milhares ou mesmo na morte do utente nos Hospitais distritais as salas de espera vazias, quando á uns meses se encontravam cheias, as clínicas de diagnóstico o mesmo terão de despedir alguns funcionários e algumas terão mesmo de encerrar as portas tal como Bombeiros sendo essa a maior fonte de rendimento o transporte de doentes terão também estes de despedir alguns motoristas e algumas corporações até encerrar, os táxis terão de dar baixa de actividade visto 90% do serviço efectuado ser no transporte de utentes e as despesas serem certas memo sem trabalho conclusão irão mais uns milhares para o desemprego e pior alguns utentes para a ultima morada o cemitério mais uma medida sem o mínimo de noção do governo Sócrates.

 

Enviado pelo colaborador: Antonio João Machado Silva

Autoria e outros dados (tags, etc)

por @Mota@ às 14:49


2 comentários

De Joaquim Gil a 16.02.2011 às 17:30

Como em todas as situações, há sempre várias maneiras de interpretar uma ocorrência, aquilo que para nós é um retrocesso na saúde, para os governantes, pode amanhã ser visto como mais um sucesso do SNS, senão vejamos; vão baixar as listas de espera, nas consultas, nas operações, nos exames de diagnóstico, para além de reduzir bastante a despesa com medicamentos e os respectivos transportes de doentes, a única coisa que vai aumentar, são os funerais, mas isso não faz parte da estatística!

De @Mota@ a 16.02.2011 às 21:19


resumindo, todos nós andamos a  descontar  uma vida inteira para termos um funeral saudavel!!!!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2011

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728

Contador


Visitas

online



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D