Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

vila de cano - canoonline - João Mot@



Mensagens

Domingo, 27.11.11

40º Congresso Mundial das Academias do Bacalhau em Recife (Brasil).

Texto enviado por: João Maia

 

As academias do bacalhau são organizações fundadas por portugueses na diáspora com o objectivo de defender os valores da portugalidade, lusofonia e solidariedade. Hoje as academias do bacalhau estão espalhadas por todo o mundo agrupando cerca de 40 mil compadres e comadres. A representação da Academia do Bacalhau de Estremoz foi efectuada por mim, pelo meu pai (Agostinho Maia), pelo Drº José Moreira (de Casa Branca) e pelo Eng. Barnabé Ramalho. O discurso da Academia do Bacalhau de Estremoz foi elaborado e proferido por mim,

na qualidade de vice-presidente da assembleia-geral. Ora, na minha opinião, é relevante que vocês publiquem que pessoas do nosso Concelho e da nossa terra representaram a cidade da nossa região, no Brasil, num Congresso de nível mundial. Só agora vos envio este material pois, por uma questão de ética, esperei que parte dele fosse publicado na revista da Academia do Bacalhau de Estremoz. Esta revista foi então distribuida este fim-de-semana em Estremoz numa cerimónia que premiou Pedro Atalho (da Vila de Cano) como o melhor aluno da Escola Secundária de Estremoz nas disciplinas de História e Português e onde entregámos um donativo à Cerci Estremoz.

 

Discurso:

 

Discurso de Representação da Academia do Bacalhau de Estremoz Ao Compadre Presidente anfitrião; aos Compadres Presidentes das Academias presentes; a todas as Comadres e Compadres, em nome da Academia do Bacalhau de Estremoz e em especial em nome do seu Presidente Francisco Ramos, faço votos de um óptimo congresso e, que daqui saiam conclusões interessantes para o nosso movimento académico. Votos ainda para que a visita a este maravilhoso país irmão, seja bem aproveitada por todos e que ao terminar fiquem com desejo de voltar. Para todos, a Academia do Bacalhau de Estremoz, envia um grande abraço amigo e fraterno, com um caloroso Gavião de Penacho.

A escolha do Brasil e da cidade do Recife, em particular, para a realização deste Congresso foi de facto muito feliz. O fortalecimento dos laços entre o Brasil e a comunidade lusófona e, em especial, entre o Brasil e Portugal são vitais não só devido a questões de ordem cultural mas também, acima de tudo, como forma de salvaguardar o futuro da herança histórica da portugalidade. Ao olharmos para as características e para as potencialidades de um país como o Brasil, ficamos com a certeza que o Brasil será aquilo que os brasileiros quiserem. A diferença existirá enquanto nós a percepcionarmos como tal. Não esqueçamos que os portugueses na diáspora disseminaram, entre várias coisas, genes, língua e uma cultura que originou um caldo híbrido que pura e simplesmente não tem fronteiras de fácil delimitação. A diferença existe essencialmente quando os nossos laços de solidariedade e justiça falham e o factor económico impõe a sua lei privando a Humanidade da sua dignidade. Academias do Bacalhau de todo o mundo: caridade não, solidariedade sempre! Nós, em Estremoz, numa academia que reúne sempre mensalmente várias dezenas de compadres e comadres e que conta já nas suas fileiras com um total de algumas centenas de elementos, temos vindo a apoiar a obra social em Centros para os idosos e para os mais desfavorecidos mas também temos vindo a premiar o mérito escolar dos nossos jovens e a praticar o incentivo à actividade cultural na nossa cidade. Tudo isto assente no mais salutar espírito de confraternização intergeracional. As Academias do Bacalhau têm perante si um desafio que poderá ser uma extraordinária oportunidade. A criação de um espaço “avançado” de intercâmbio lusófono pondo também em contacto a criatividade e o empreendedorismo das novas gerações tem um potencial enorme que urge aproveitar. A criação e dinamização de grupos e/ou secções de juventude em todas as academias bem como a realização e dinamização dos congressos mundiais em alturas do ano que favoreçam a participação dos jovens do espaço lusófono são medidas que devem ser tomadas o quanto antes. O intercâmbio só será sólido se as componentes da solidariedade, da economia e da cultura não forem vistas como desligadas umas das outras. No espaço lusófono urge encontrar uma força que garanta um futuro que poderá ser brilhante. Ousamos pois, Compadres, vários séculos depois, nesta terra pisada por Cabral, dar novos horizontes ao mundo. Mais uma vez, com um Gavião de Penacho, bem hajam a todos, Compadre João Maia.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por @Mota@ às 23:11


4 comentários

De Joaquim Gil a 28.11.2011 às 16:38

Tendo este evento acontecido em 15/10/2011, é de lamentar que só agora chegue ao conhecimento público, será que se não houvesse o canoonline, esta intervenção dos nossos conterraneos passaria ao lado? e será que sem a notícia da Academia do Bacalhau, ficariamos a saber do feito do nosso conterraneo Pedro Atalho?, somos mesquinhos até na divulgação daquilo que temos de bom?

De canense a 28.11.2011 às 17:06

acho que o amigo quim não leu o texto na integra, passo a citar; por uma questão de ética, esperei que parte dele fosse publicado na revista da Academia do Bacalhau de Estremoz. Esta revista foi então distribuida este fim-de-semana em Estremoz numa cerimónia que premiou Pedro Atalho (da Vila de Cano) como o melhor aluno da Escola Secundária de Estremoz nas disciplinas de História e Português e onde entregámos um donativo à Cerci Estremoz.

De Joaquim Gil a 28.11.2011 às 18:43

Eu li tudo, desde o texto ao discurso, só que o meu comentário tem um sentido mais lato e de maior alcance, resumo em poucas palavras, se o filho do Rodrigo ou mesmo o João Maia, tivessem dado uma facada num tipo qualquer, até escreviam nas paredes e havia panfletos espalhados pelas ruas, o reparo que faço dirige-se aos jornais e estações de rádio que temos na região, que deviam estar informados, e informar, antes de ser o próprio interveniente a fazê-lo!!

De @Mota@ a 28.11.2011 às 19:02

Gostei do artigo, gostei das fotos, gostei de ver os amigos "Maias" nestas aventuras como também o amigo Barnabé Ramalho, os blogs é para o que servem, publicar, ajudar, denunciar, divulgar, havia quem disse-se que o facebook vinha para substituir os blogs, enganaram-se redondamente continuo com mais visitas ainda, hoje por exemplo já ultrapassámos as 700 visitas, gostaria que houvesse mais gente a participar neste blog, obrigado a todos os que nos visitam diariamente.

Mot@

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Novembro 2011

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Contador


Visitas

online



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D